Resenha: Cilada

segunda-feira, março 23, 2015

       
   
                                                                 Título: Cilada
Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro (www)
Páginas: 272

Sinopse: Haley McWaid tem 17 anos. É aluna exemplar, disciplinada, ama esportes e sonha entrar para uma boa faculdade. Por isso, quando certa noite ela não volta para casa e três meses transcorrem sem que se tenha nenhuma notícia dela, todos na cidade começam a imaginar o pior. O assistente social Dan Mercer recebe um estranho telefonema de uma adolescente e vai a seu encontro. Ao chegar ao local, ele é surpreendido pela equipe de um programa de televisão, que o exibe em rede nacional como pedófilo. Inocentado por falta de provas, Dan é morto logo em seguida. Na junção dessas duas histórias está Wendy Tynes, a repórter que armou a cilada para Dan e que se torna a única testemunha de seu assassinato. Wendy sempre confiou apenas nos fatos, mas seu instinto lhe diz que Mercer talvez não fosse culpado. Agora ela precisa descobrir se desmascarou um criminoso ou causou a morte de um inocente. Nas investigações da morte de Dan e do desaparecimento de Haley, verdades inimagináveis são reveladas e a fragilidade de vidas aparentemente normais é posta à prova. Todos têm algo a esconder e os segredos se interligam e se completam em um elaborado mosaico de mistérios. Harlan Coben mais uma vez deixa o leitor sem ar. Cilada fala de culpa, luto e perdão em uma trama repleta de reviravoltas surpreendentes. Nada é o que parece e tudo pode ser desfeito até a última página. 

"Ninguém consegue escapar das próprias mentiras." (Cilada)

Minhas impressões: Quem já leu Harlan Coben sabe, e quem não leu precisa saber, que ele nasceu com o dom de escrever mistério e suspense. Ele te faz suspeitar de todos na trama e sempre - sempre mesmo - te deixa chocado na última página. E, claro, que em Cilada não foi diferente. A ligação entre duas histórias é feita de uma forma muito convincente e bem trabalhada, pois ao mesmo tempo que a filha mais velha da família Mcwayd desaparece, um rapaz chamado Dan Mercer é acusado de pedofilia. É nesse momento que a jornalista Wendy Tines aparece e a história começa a pegar fogo. Eu me perguntava o tempo todo "em quem acreditar?", pois a humanização de cada personagem me questionava até onde cada um era capaz de chegar. É como se, durante a leitura, você afirmasse para si mesmo que ninguém é inocente, ou ninguém é culpado. Confuso, não? Sim, sim! Harlan Coben me surpreendeu muito com o final que eu acreditava saber. Cilada é o tipo de livro que ao ler as últimas linhas você fala "não acredito!".


Por isso eu digo: somos produto do lixo, todos nós - o excremento que restou depois de séculos de degradação genética.


Minha avaliação:

Livro no Skoob (www)

Leia trecho do livro disponibilizado pela Editora Arqueiro AQUI.

E aí, quer ler ou já leu? Conta pra mim! ;)
Até a próxima resenha, pessoal!

Você pode gostar também

2 comentários

  1. Meu livro favorito do Harlan <3
    No final você fica O.O WTF?!

    http://harlancobenn.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois de 'Não conte a ninguém', esse é meu segundo livro favorito - fora da série Myron Bolitar - e eu fiquei com cara de abestalhada lendo o final! INACREDITÁVEL!

      Excluir

Sua opinião é muito importante para mim. <3
Volte sempre!