Resenha | Ligeiramente Pecaminosos, de Mary Balogh

sexta-feira, dezembro 09, 2016


Rachel York foi enganada por um salafrário que levou todo o dinheiro dela e de suas amigas. Agora, em meio à guerra, sem ter pra onde ir, ela é acolhida pelas amigas e, juntas, armam um plano de vingança para tentar recuperar suas economias.

Lorde Alleyne Bedwyn foi ferido na guerra enquanto levava uma carta importante. Um tiro na perda, uma queda do cavalo e uma concussão. Estava quase sem vida quando Rachel o encontrou desmaiado e o levou para a casa das amigas. O engraçado é que o inusitado encontro aconteceu quando Rachel e as outras mulheres estavam "saqueando" os mortos da guerra. "Saqueando" assim mesmo entre aspas porque as moças tinham um bom coração e não conseguiram levar nada do lugar. Todas foram tomadas por remorso e desistiram da ideia. Embora, talvez, fosse a única forma de conseguir um dinheiro extra já que a guerra e um salafrário mentiroso as havia deixado na miséria.
"- É impossível não amar todas elas, não é mesmo? Todas têm o coração grande como o mar, não importa o que costumavam fazer".
Mesmo sem conhecer Alleyne, muito menos sem saber que se tratava de um Lorde da Alta Sociedade, Rachel notou que ele ainda apresentava sinais de vida. Foi então que gritou por socorro dizendo que ele era seu marido ferido. Foi hilário!


Vamos para algumas considerações:
1. A casa das amigas de Rachel é um bordel.
2. Rachel encontrou Alleyne quando pretendia roubar os mortos na guerra, mas não teve coragem.
3. Os prejuízos da guerra foram enormes e as mulheres estão passando necessidade.
4. Alleyne abre os olhos e diz "estou morto, fui para o céu e o paraíso é um bordel".
5. Alleyne perdeu a memória.

E agora, José?

Se tratando de um romance de época é óbvio que já sabemos como a história vai terminar, mas não é isso que importa. Nesses casos, nunca é. Alleyne acorda sem reconhecer seu próprio reflexo no espelho, mas Rachel e as amigas estão dispostas a cuidar dele pelo tempo que for necessário. Rachel é uma moça virgem que, assim como Alleyne não menospreza e nem tem preconceito com a profissão das outras mulheres. É interessante ler a construção de cada personagem neste romance, principalmente as prostitutas que me cativaram com o bom coração e interminável senso de humor.
"- Quem diabos sou eu? - Ela teve a sensação de que era apenas uma pergunta retórica, que lhe deu um calafrio. Então, o homem pareceu resvalar novamente para a inconsciência."
De todos os romances de época, este foi, sem sombra de dúvidas, o mais diferente, original e irreverente que já li. Em vez de ser protagonizado por mocinhas em bailes esperando debutar e encontrar um príncipe encantado, Ligeiramente Pecaminosos traz mulheres 100% fora dos padrões e um mocinho muito à frente do seu tempo, arrisco até dizer que ele tem ideias feministas. Lorde Alleyne Bedwyn é encantador. Tá de parabéns, esse moço, viu?
"Rachel não apenas era linda. Ela o fazia pensar em lençóis desarrumados, braços e pernas entrelaçados e corpos encharcados de suor. Que azar o dele acabar em um bordel sem um centavo no bolso para chamar de seu. Muito azar mesmo..."

Minha primeira experiência com a escrita da Mary Balogh foi satisfatória. Apesar de estar mais acostumada ao humor ácido de outras autoras, Mary não deixou a desejar. Com certeza absoluta lerei mais livros dessa série!

Ligeiramente Pecaminosos é o quinto livro da série Os Bedwyns. Todos os livros anteriores já foram publicados pela Editora Arqueiro. Saiba mais clicando aqui


Livro recebido em parceria com a Editora Arqueiro. 
Bjs e até a próxima! <3

Você pode gostar também

0 comentários

Sua opinião é muito importante para mim. <3
Volte sempre!