"Toda pessoa é uma possibilidade" em Todo Dia, de David Levithan

segunda-feira, abril 25, 2016



Título: Todo Dia
Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
Páginas: 280


Sinopse: Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.

Opinião: Narrado em primeira pessoa por A, ele acorda todos os dias em um corpo diferente. Ele já está acostumado e segue a rotina do real dono daquele corpo até a meia noite, quando pega no sono para acordar em outro corpo mais uma vez. Até que um dia, ele acorda no corpo de Justin - namorado abusivo de Rhiannon - e, inevitavelmente, se apaixona por ela. 

"Queria que o amor conquistasse tudo. Mas o amor não conquista tudo. Ele não pode fazer nada sozinho. Ele depende de nós para conquistar em seu nome."

Ok até aqui, você pode pensar que é apenas mais uma história de amor adolescente com um final feliz, entretanto, Todo Dia vai além. Os dias vão passando e acompanhamos a rotina de A como se estivéssemos ao lado dele. Cada corpo tem uma história, um fardo, um karma... E é nesse ponto que A mostra a fragilidade da vida, as diferenças, o universo que existe dentro de cada pessoa. 

"Se você olhar para o centro do universo, existe frieza lá. Um vazio. No final das contas, o universo não se importa conosco. É por esse motivo que temos que cuidar um do outro." 

No decorrer das páginas, Todo Dia traz mais uma lição: a dificuldade de amar apenas a parte de dentro e ignorar totalmente a parte de fora de alguém, a aparência. Será que é tão fácil quanto pensamos? David Levithan escreve de forma leve, simples e emocionante. Perdi a conta de quantas vezes enxuguei minhas lágrimas, mas também sorri com o humor repentino em alguns capítulos.

O final do livro me deixou com o coração apertado e chorei mais uma vez. Senti também uma leve decepção por esperar algumas explicações, mas parando para pensar... Algumas coisas não podem ser explicadas e justificadas, elas apenas são. Acho que essa é a mensagem.

"Ela é meu primeiro e único amor. A maioria das pessoas sabe que o primeiro amor não será o único. Mas, para mim, ela é as duas coisas. Esta vai ser a única chance que vou me dar."

Nota: 4/5 
Skoob: clique aqui
Compre: clique aqui

Até a próxima <3

Você pode gostar também

3 comentários

  1. Ain que lindo! Um livro com quotes tão lindas, com certeza deve ser emocionante *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mt lindo mesmo. E bota emocionante nisso <3

      Excluir
  2. Eu amo esse livro! Adoro essa frase que você usou no titulo, me fez ser aberta a novas pessoas e conhecer gente que eu não conheceria antes de encará-las como possibilidades. Lindo livro, linda resenha e lindo blog! Parabéns

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim. <3
Volte sempre!