[Opinião] Os Dois Mundos de Astrid Jones

segunda-feira, março 28, 2016



Título: Os Dois Mundos de Astrid Jones
Autora: A. S. King
Editora: Gutemberg
Páginas: 288

Sinopse: “O movimento é impossível.” É o que Astrid Jones, 17 anos, aprendeu na sua aula de filosofia. E, vivendo na pequena cidade em que mora, ela começa a acreditar que isso é mesmo verdade. São sempre as mesmas pessoas, as mesmas fofocas, a mesma visão de mundo limitada, como se estivessem todos presos em uma caverna, nunca enxergando nada além. Nesse ambiente, ela não tem com quem desabafar suas angústias, e por isso deita-se em seu jardim, olha os aviões no céu, e expõe suas dúvidas mais secretas aos passageiros, já que eles nunca irão julgá-la. Em seu conflito solitário, ela se vê dividida entre dois mundos: um em que é livre para ser quem é de verdade e dar vazão ao que vai em seu íntimo, e outro em que precisa se enquadrar desconfortavelmente em convenções sociais. Em um retrato original de uma garota que luta para se libertar de definições ultrapassadas, este livro leva os leitores a questionarem tudo e oferece esperança para aqueles que nunca deixarão de buscar o significado do amor verdadeiro.


Opinião: "E se algum de vocês têm algum problema com isso, então o problema é de vocês."

Amar desconhecidos sem esperar nada em troca talvez seja muito mais fácil. Enviar amor aos passageiros de avião e amar quem ela quiser é a válvula de espace de Astrid Jones - uma jovem que só quer ser ela mesma, mas que vive em duas realidades que, um dia, ousaram colidir.

"Amor é algo que sempre estará disponível? Será sempre confinado e indigno de confiança como parece hoje? Tem o suficiente por aí? Estou desperdiçando o meu com estranhos?"

Um pai sempre distraído e sob o efeito de ervas, uma  mãe que nitidamente prefere sua irmã mais nova e uma irmã que só se preocupa com ela mesma: esse é um dos mundos de Astrid Jones. O outro mundo pertence a uma Astrid que mantém um grande segredo: ela namora outra garota.

A narrativa se mantém de forma fluida e leve, mesmo tratando de temas como: relacionamento familiar e preconceitos. É difícil, para mim, me colocar no lugar da personagem e aguentando toda a carga de pressão que ela recebe tentando manter seus dois mundos distantes um do outro. Mas ao mesmo tempo, gostaria de ser tão forte e tão inteligente quanto ela. Astrid estuda filosofia e essa parte do livro foi DISPARADO a melhor. Reflexões sobre a existência da perfeição, discussões sobre igualdade e referências à Caverna de Platão, à Sócrates e Aristóteles, foram o ponto forte do livro. Eu aprendi muita coisa com Astrid Jones.

"Porque a igualdade não é realmente óbvia para a maioria das pessoas. E não quero dizer que o mundo está cheio de racistas ou sexistas ou homofóbicos. Quero dizer: todo mundo está sempre procurando alguém para superar."

Indico esse livro para quem gosta de YA, e principalmente para quem gosta de livros comoventes e que nos fazem refletir sobre conceitos e preconceitos. Esse é o segundo livro da A. S. King que leio e já digo com absoluta convicção que ela é minha autora favorita. Fiquei feliz em saber que a editora Gutemberg vai lançar mais dois livros dela ainda esse ano!!

"Toda essa gente acorrentada aqui pensando que suas reputações importam e que essa merdinha importa é uma visão curta demais. Cara, o que importa é se você está feliz. O que importa é seu futuro. O que importa é sairmos daqui inteiros. O que importa é encontrar a verdade sobre nossas próprias vidas, não se importar sobre o que as pessoas pensam que é a verdade sobre nós!" 

Nota: 4/5
- ONDE COMPRAR: Americanas

Beijos e até a próxima! =*

Você pode gostar também

0 comentários

Sua opinião é muito importante para mim. <3
Volte sempre!