Resenha: O Grande Gatsby

segunda-feira, julho 06, 2015


     
Título: O Grande Gatsby
Autor: Scott Fitzgerald
Editora: Geração Editorial (www)
Páginas: 204

Sinopse: Obra-prima de F. Scott Fitzgerald, este clássico do século XX retrata a alta sociedade de Nova York na década de 1920, com sua riqueza sem precedentes, festas nababescas e o encanto das melindrosas ao som do jazz. O sol em ascensão desse universo cintilante e musical é o enigmático milionário Jay Gatsby, ao redor do qual orbitam três casais glamorosos e desencontrados, numa trama densa, repleta de intrigas, paixões e conflitos que precipitam o trágico eclipse. Recriação soberba de um dos períodos mais prósperos da história dos Estados Unidos, O grande Gatsby é uma crítica mordaz à  insensibilidade e imoralidade revestidas de ouro da chamada Era do Jazz, e um dos melhores romances — talvez o melhor — já escritos nesse país.


Nota da Editora: "Como diz Ruy Castro na apresentação que preparou especialmente para esta edição, Gatsby é o alter ego do próprio F. Scott Fitzgerald, que embora idolatrasse os ricos e o glamour da época, enxergava a sua decadência e não se conformava com o materialismo sem limites nem com a falta de moral desse delírio hedonista."


Minhas impressões: É difícil falar de um livro que me deixou tão sem palavras...
Há tempos eu tinha o enorme desejo de ler O Grande Gatsby, pois sou curiosa pelos clássicos da literatura, então quando tive a oportunidade de comprar essa edição lindona da Geração Editorial, em capa dura e com imagens, não pensei duas vezes. 

"Eu a amava. E este é o começo e o final de tudo."

A história é narrada por Nick Carraway, um rapaz simples que se arriscou a viver em Nova York tentando a carreira de administração. Lá chegando, ele passa a morar em uma casa simples que fica ao lado da Mansão do Sr. Gatsby - o homem mais falado do lugar. Jay Gatsby, esse é o seu nome. Pouco se sabe sobre ele - muitos dizem que já matou um homem, outros dizem que ele já serviu ao exército, as más línguas dizem que ele comanda algum tipo de comércio ilegal, e pouquíssimas são as pessoas que viram seu rosto de verdade. Tudo o que se sabe sobre ele é que se trata de um homem muito rico e que frequentemente realiza grandes festas (grandes mesmo) em sua mansão. Essas festas são sem comemoração alguma, apenas por prazer, e toda a cidade sente-se no direito de comparecer - embora ninguém, nunca, tivesse sido formalmente convidado, exceto o simples Nick Carraway. Que motivos teria o Sr. Gatsby para convidar o pobre rapaz?
"E eu gosto de festas grandes. Elas são tão íntimas! Nas pequenas reuniões não há isolamento algum."
Do outro lado da Mansão, moram Daisy Buchanan - uma moça acostumada com luxo, mimos e riqueza - e seu esposo Tom, mais acostumado com os fatores acima do que ela. Digamos que os dois se merecem muito bem. Mas diante de todo o glamour, existe um ar de tristeza e frustração no casal. Adultério, fantasmas do passado e conformismo assombram o relacionamento dos dois, ao mesmo tempo que os fortalece em seus próprios mundos. Qual a relação dos Buchanan, Nick Carraway e Jay Gatsby na história? O desenrolar dos fatos é surpreendente e emocionante.
"Existem apenas os perseguidos, os que perseguem, os ativos e os fatigados."
Certas noites, Nick pode ver seu vizinho, o Sr. Gatsby, observando uma luz verde ao longe, na tentativa de alcançá-la. Esse mistério da luz verde e toda a poética por trás disso me emocionou de verdade. Como eu gostaria de ter conhecido o Sr. Gatsby! Como eu gostaria de ter estado no lugar de Nick Carraway e ser sua vizinha, sua amiga, sua confidente. Como eu gostaria de dizer umas boas verdades para Daisy Bunchanan! E como eu gostaria de ter participado de uma das festas na mansão do Sr. Gatsby, só para rir dos boatos sobre sua pessoa e sentir o brilho nos olhos pelo glamour da era do jazz!


"Nenhum fogo poderia destruir o conto de fadas que ele tinha em seu coração."

O livro tem personagens muito cativantes, como o próprio Gatsby e Nick. Mas os secundários também não deixam a desejar, mesmo os que me causaram raiva, têm a sua relevância na história. Até mesmo aqueles que parecem meros "enchedores de linguiça" a princípio, sofrem uma grande reviravolta da metade do livro em diante, tornando-se cruciais para o desenrolar da trama.

O livro passa uma certa lição sobre imagem/status; sobre solidão e sobre a inquietação do amor. Talvez até aqui eu já tenha falado muito sobre o livro, mas ainda sinto que mais palavras querem sair. Algo como "eu preciso falar mais sobre o Sr. Gatsby!". Ele foi, com certeza, um dos personagens que mais me cativou e me emocionou em comparação a todos os livros que li até hoje. Tenho por ele, uma admiração muito grande. Torci muito por ele durante toda a leitura e terminei as últimas linhas do livro com lágrimas nos olhos.

"(...) perdera aquele seu cálido e antigo mundo, pago um preço demasiado alto por haver vivido com um único sonho."

Nota: 5/5 + 
Livro do Skoob (www)
Leia o primeiro capítulo (www)

O livro já teve várias edições e também várias adaptações para o cinema. Digno de uma obra tão maravilhosa do Fitzgerald! A última adaptação cinematográfica foi em 2013, com um elenco lindo composto por Leonardo DiCaprio (Jay Gatsby); Tobey Maguire (Nick Carraway) e Carey Mulligan (Daisy Buchanan).

Assista ao trailer:



Espero que tenham gostado da resenha.
Até a próxima! 

Você pode gostar também

10 comentários

  1. Esse livro é tão triste! :/ kkkkk, MAS eu quero ler mesmo assim, a capa é linda, e pelo que sei parece ser ótimo, está na minha lista! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Midian, apesar da tristeza do livro, ele tem muita lindeza a cada página que você lê. Mesmo com os spoilers kkkkkk pode ler que eu garanto que você não vai se arrepender. É meu livro favorito da vida!

      Excluir
  2. AMEI A RESENHA JESS!! Os maiores romances são mesmo aqueles mais difíceis de engolir olha...Daisy, eu te odeio! haha Esse é um livro triste e lindo, e eu queria dar um abraço no Gatsby e acreditas que eu ainda não vi esse filme?! Vou baixar! Beijos!!
    http://www.trocandodisco.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Gatsby merece TODOS os abraços do mundo! Se eu pudesse, o abraçaria agora por tudo que ele é, e por tudo que ele fez. Sério, esse livro se tornou o meu favorito da vida!
      Que bom que gostou da resenha. E assista mesmo o filme! Vale a pena tanto quanto a leitura. É beeeeem fiel e faz a pessoa se emocionar. :')

      Excluir
  3. Adorei a resenha!!!! Quase comprei esse livro ano passado, me arrependo até hoje, parece ser incrível! E também queria muito assistir o filme, mas sabe como é né, quero ler a história antes... hehehe
    Beijocasss
    doprefacioaoepilogo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também li antes de assistir, meninas! rsrs. Mas por se tratar um livro pequeno (menos de 200 páginas), dá pra ler rapidinho e correr pra ver o filme.
      Me avisa quando ler e/ou assistir. Quero opiniões e falar sobre a maravilha poderosa que é esse livro!

      beijo!

      Excluir
  4. Comprei esse livro no ataque rompante consumista que tive ano passado. Sempre olho pra ele, mas passo outro na frente. Depois dessa resenha, subi kkkkkkkkkkkk

    http://viciosdevaneios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suba ele meeeeeeesmo! Me avisa quando ler! Eu espero que goste!

      Excluir
  5. Jess! Não sabia que Gatsby era o livro da sua vida! hahaha tão bom quando a gente acha a obra favorita! Ótimo texto o seu. Eu vi o filme e confesso que não curti muito... mas sabe, bateu uma vontade louca de ler o livro... e como livro sempre é melhor que o filme, botei fé, e estou procurando uma tradução boa pra essa obra de Fitzgerald. Pelo que vi essa da Geração parece muito bonita! Vou ler a amostra dela pra ver se curto. Obrigado pela dica!! :D

    Alexandre, do site Do Que Eu Leio
    @_alexandremelo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, esse é o meu livro da vida. Espero que goste também, quando realizar a leitura. O filme com o DiCaprio eu gostei tanto quanto do livro, confesso a você que não sei te dizer qual é o melhor. O filme tem mais alegria, já o livro é mais melancólico, mas ambos são uma maravilha! Quando comprar, opte por essa da Geração. Ela está muito caprichada e custou bem barato quando comprei. ;)

      Excluir

Sua opinião é muito importante para mim. <3
Volte sempre!