Resenha: The 100 - Os Escolhidos

domingo, julho 26, 2015


     
Título: The 100 - Os Escolhidos
Autora: Kass Morgan
Editora: Galera Record
Páginas: 288

Sinopse: Desde a terrível guerra nuclear que assolou a Terra, a humanidade passou a viver em espaçonaves a milhares de quilômetros de seu planeta natal. Mas com uma população em crescimento e recursos se tornando escassos, governantes sabem que devem encontrar uma solução. 100 delinquentes juvenis, considerados gastos inúteis para a sociedade restrita, serão mandados em uma missão extremamente perigosa: recolonizar a Terra. Essa poderá ser a segunda chance da vida deles... ou uma missão suicida.

Minhas impressões: Este livro foi a minha primeira (e maravilhosa) estreia lendo Ficção Científica. Então, o que dizer desse gênero que mal conhecia e já considero pakas? Pois é. The 100 abriu meus olhos para o gênero e já fiz uma pequena listinha dos próximos que lerei. Ou seja, The 100 é um livro ótimo.

"Você precisa se permitir ser feliz. Se não fizer isso, de que adianta qualquer coisa?"

O livro tem uma narrativa bem fácil. É como se ele fosse realmente feito para iniciantes de scifi. A escrita da autora desliza por sua mente, deixando com que os fatos fluam numa cronologia perfeita e fazendo com que os personagens sejam calculadamente encaixados nos momentos certos. Comecei a leitura dentro da nave espacial que abriga os humanos. Após a Terra ter se tornado extremamente tóxica, a raça humana passou a viver numa grande nave espacial dividida por Phoenix, Arcadia e Walden. É praticamente uma divisão social, entre aqueles que têm menos e os que merecem mais.

"Tinha aprendido ainda jovem, se você quisesse que algo fosse feito, tinha que fazer por conta própria."

De cara, conheci Clarke, uma jovem que estudava medicina e se encontra presa como uma delinquente. Mais para frente, a estória vai sendo narrada como crônicas, cada capítulo conta a perspectiva dos jovens presos que estarão em breve sendo enviados para uma missão (suicida?) na Terra. O que esses jovens fizeram para serem presos? E por que, se eles continuassem na nave, seriam executados ao completarem 18 anos? Ao chegarem na Terra, tudo o que eles encontram é como um sonho, mas nem tudo é um mar de rosas, a partir do momento em que eles precisam de comida e remédios. Há também o medo da água ser tóxica, de o ar corroer suas vias respiratórias com o tempo e por que não, o medo do desconhecido?

"Você não podia esperar que mais ninguém compartilhasse seu sofrimento. Você tinha que carregar sua dor sozinho."

Meus personagens favoritos foram Clarke, Glass e Bellamy Cada um deles e sua particularidade ganharam minha admiração. Clarke, apesar de confusa quanto aos seus sentimentos por uma certa pessoa (o que acho meio chato), é muito determinada e inteligente, é peça fundamental para o desenvolvimento da história. Glass é a minha favorita. Corajosa, determinada, impulsiva e de um coração puro e bom, é capaz de loucuras quando o assunto é amor. Ela foi a que mais me identifiquei e a que mais gostaria de conhecer, se pudesse. E Bellamy é o tipo de personagem meio herói, meio marrento. Mas totalmente humano. Com medos reais, coragens  reais e impulsos totalmente justificáveis, foi o que mais me apeguei e mais torci para que desse certo no final. Os demais personagens – apesar de não me cativarem tanto como os citados acima – foram peças fundamentais para o desenrolar dos fatos. Nenhum deles foi desnecessário. Nenhuma fala, nenhuma atitude. Octavis, Wells e Graham (esse eu odeio com todo o meu coração) tiveram seus momentos.

"Pessoas boas podem cometer erros.Isso não quer dizer que você deixa de se importar com elas."

The 100 me fez pensar bastante em como seriam as coisas se eu fosse um deles, e me fez refletir também sobre o instinto de sobrevivência do ser humano e sobre como o medo pode se manifestar de diferentes formas nas pessoas. Seja por violência, desespero, solidariedade e ódio. Será necessária a presença de um líder entre os 100? Será que até o final do livro, todos eles conseguirão sobreviver? Quais os mistério que a Terra esconde? Por que eles – prisioneiros - foram enviados? Estariam eles sendo monitorados? E o que dizer a respeito daqueles que ficaram na nave? Será que a mesma ainda é segura depois de tantos anos?
Essas perguntas não paravam de surgir na minha cabeça. E com certeza, surgirão na sua também! Hahaha.

"Mas a verdade é que as coisas mais bonitas são as que mais podem magoar."

O livro já tem continuação e se chama Dia 21. Não vejo a hora de ler porque eu preciso saber o que vai acontecer. Também existe a série de mesmo nome inspirada nos livros, e eu já estou correndo para assistir porque eu preciso também.


Trailer da série:


E você, já leu? Quer ler? Conta pra mim.
Beijo!

Você pode gostar também

6 comentários

  1. Hello, ainda não li, mas já assisti a primeira temporada da série e tô procurando tempo para continuar, quer dizer, daqui uns dias sai a terceira temporada e eu aqui empacada. Se bem que eu quero ler primeiro os livros para iniciar a segunda....
    Beijos, Jess!

    http://tordodemorango.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Midian, mulher, se você viu a série e gostou, você PRECISA ler o livro. Eu amei do início ao fim! Entrei com o pé direito do gênero! E eu vou assistir a série SIM ou CLARO? Hahahaha!

      Excluir
    2. Não sei se vai gostar, tem gente que não gosta, mas eu recomendo a Série Eu Sou o Número Quatro! É ficção C. e é... Muito bom!
      :)

      Excluir
    3. Eu já li esse, Midian. E não gostei ):

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Eu já tinha visto a série, ainda não cheguei a assistir, está na lista, mas não sabia que também era livro >< e essa renha me deixou muito, muito curiosa. espero poder ler o livro muito em breve <3
    insta: @_booklandia
    blog: http://booklandiablog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para mim. <3
Volte sempre!